Sentes dores musculares e fadiga frequente? Tem cuidado! Pode ser mais preocupante do que pensas!

As pessoas que sofrem disto, além de terem dores musculares, podem também apresentar frequentes alterações de humor e dificuldades de concentração, pois a doença afecta o sistema nervoso central.
É importante teres conhecimento disto, e partilhares com os teus amigos e familiares!
Ter dor muscular e fadiga pode ser algo muito comum depois de ter terminado um dia cheio de actividades com grande exigência física.
No entanto, quando esses sintomas ocorrem com mais regularidade e começam a afectar a qualidade de vida, o mais provável é que a pessoa esteja padecendo de fibromialgia.
A fibromialgia é uma síndrome de causa desconhecida cujo sintoma principal é uma dor severa localizada em áreas musculares, tendinosas, articulares e viscerais.

Estas áreas são conhecidas como pontos “hipersensíveis” e basta que sofram uma ligeira pressão para que a dor seja intensa.
Embora os pacientes com esta doença possam apresentar sintomas semelhantes a quem tem problemas articulares, a grande diferença é que não se produz inflamação, e por isso não é uma forma de artrite.
Contudo, o que se deve considerar é que é uma forma de reumatismo das partes moles.
Quais são as causas da fibromialgia? Ainda não foi definida a causa deste problema de saúde, contudo várias hipóteses sugerem que pode se dever a anomalias no funcionamento do sistema nervoso central.
Os distúrbios neurológicos das vias que estão sensibilizadas trazem, como consequência, um aumento dos sinais dolorosos, dando lugar àquilo que se conhece como hiperalgésica (dor aumentada).

Por outro lado, entre suas possíveis causas também se incluem: Estresse físico e psicológico Doenças virais Artrite Lúpus Ter sofrido de lesões Traumas psicológicos importantes Quais são os seus principais sintomas? A fibromialgia é um transtorno que afecta principalmente às mulheres, contudo quando afecta os homens pode ocorrer de forma mais severa.
Dor
A dor musculoesquelética é o principal sintoma da fibromialgia.
Geralmente, aparece de forma gradual em diversas partes do corpo como: Pescoço Ombros Costas Ancas A intensidade da dor pode variar, dependendo da situação e da actividade da pessoa, bem como do clima ou de seus padrões de sono.
Quem padece desta dor, a descreve como: Ardente Beliscante Pulsante Rígida Sensível Fadiga
Cerca de 90% das pessoas afetadas por fibromialgia também passam por episódios ligeiros ou graves de fadiga, menor resistência ao esforço físico e um esgotamento que pode levar ao aparecimento de gripe ou problemas de sono.
De um modo geral, esta sintomatologia é semelhante à produzida por outras condições, como é o caso da síndrome de fadiga crónica.
Também é muito comum que a pessoa sofra diversos transtornos do sono como, por exemplo, dificuldades para dormir, sonos leves ou com interrupções durante a noite.
Por isso, quem padece deste problema tende a se sentir abatido, inclusive, depois de ter dormido um pouco.
Sintomas do sistema nervoso
Por ser uma doença que altera o sistema nervoso, os pacientes passam por mudanças frequentes nos seus estados de ânimo.
Cerca de 25% dos indivíduos diagnosticados apresentam depressão clínica, e se sentem tristes e abatidos.
Acredita-se que pode haver uma relação entre a fibromialgia e alguns tipos de depressão e ansiedade crónica; contudo, estas duas condições se devem avaliar com maior profundidade já que podem ser desencadeadas por outros transtornos comuns.
Algumas pessoas também podem sentir maior dificuldade para se concentrarem e realizar tarefas quotidianas simples; por isso, é muito importante prestar atenção aos sintomas e procurar um tratamento adequado.
Outros sintomas associados Cefaleia tensional e enxaqueca Dores e distensão abdominal Diarreia ou prisão de ventre Espasmos e irritabilidade da bexiga Pode-se controlar a fibromialgia?
A primeira medida para tratar esta condição é consultar um médico para receber um diagnóstico adequado.
Alguns medicamentos podem ser úteis para o tratamento e diminuição dos diferentes tipos de dor.
Contudo, além de ser diagnosticado, também é importante adoptar alguns bons hábitos como complemento.
Realizar exercício de baixo impacto, no mínimo 30 minutos por dia e, se possível, com o apoio de um treinador, já que um movimento errado pode piorar o problema.
Fazer alongamentos para aliviar os músculos rígidos e doridos.
Adicionar técnicas de relaxamento e de controle do stresse.
Adoptar uma alimentação saudável, baixa em gorduras e açúcares.
Manter um peso equilibrado, já que a obesidade pode piorar este problema e torná-lo mais recorrente.
Procurar técnicas alternativas como remédios naturais e terapias complementares.
Comentários

Estes são os sinais de cancro no ovário que nenhuma mulher pode ignorar!

É muito importante que conheças estes sinais/sintomas, pois quanto mais cedo for detectado melhor. Em todo o mundo, todos ...


267