Ela via a cadela passar todas as noites com um saco na boca...Quando a seguiu ficou em choque!

Ela via esta cadela passar todas as noites por ela, com um saco na boca, e começou a achar aquilo muito estranho… Uma noite ela não aguentou mais ver aquele estranho acontecimento, e resolveu tentar descobrir o porquê seguindo a cadela… Mas o que descobriu foi um choque para ela!
Quem tem pouco sempre fica grato com menos.
A história desta cadela traz logo o provérbio à mente.
Lilica foi abandonada e adotada por esta proprietária de um ferro velho em São Carlos, interior de São Paulo, no Brasil.
Apesar de receber muito carinho no novo lar, a comida é pouca e Lilica acabou por precisar procurar alimento por conta própria.

Mas ao invés de lutar apenas pela própria sobrevivência, Lilica decide pensar nos outros.
Sua história é tão inacreditável e tão linda que poderia ser uma inspiração para um filme da Disney.
Lilica mora neste ferro velho.
Ela vive ali tranquilamente até que sua nova dona percebe que a cadela começou a desaparecer todas as noites, mas não sabe a onde ela vai.
Eventualmente, ela descobre.
E a descoberta a toca profundamente.
Todas as noites, Lilica caminha 2 quilómetros por uma estrada.
O tráfego é intenso e, na escuridão, o caminho é muito perigoso.
Lilica arrisca todas as noites um atropelamento fatal.
Mas, mesmo assim, ela continua indo pontualmente.
A cadela tem um encontro marcado todas as noites com uma pessoa especial, a professora Lúcia Helena de Souza.
Quando a dona de Lilica finalmente descobre o que está acontecendo, ficou a saber que as duas já têm se encontrado todas as noites às 21 horas, há anos.
Inicialmente, a professora notou que Lilica ia sempre revirar o lixo perto de sua casa.
Apaixonada por animais, ela passou a alimentá-la.
Mas logo Lúcia Helena notou um fato curioso.
Lilica nunca comia toda a comida que lhe era dada, mas carregava a bolsa de plástico para casa com ela.
Lúcia Helena então aumentou a porção de Lilica, para que ela tivesse mais comida para levar.
O que ela não imaginava é o que Lilica estava a fazer.
Todos os dias, Lilica se despede da professora e carrega a “marmita” os 2 quilómetros de volta.
Lúcia Helena então decide seguir a cadela e acaba no ferro velho onde ela mora.
A professora e a dona de Lilica então descobrem que a cadela não só foi adotada como adotou os demais animais que dividem o ferro velho com ela.
O que começou como uma busca para alimentar 8 filhotes, se transformou numa excursão diária para alimentar todo o bando.
É para eles que Lilica traz o saco cheio todas as noites.
Um gato, de quem Lilica cuida como uma mãe.
E até uma família de galinhas, que Lilica tenta alimentar também.
Todos eles partilham a marmita trazida por Lilica.
E todos os dias os animais sabem que não vão dormir com fome.
E tudo por causa dela.
Esses olhos revelam uma personalidade sem igual.
Lilica realmente tem uma alma bondosa.
Ela é mais humana que muitas pessoas.
Lilica caminha mais de 2 quilómetros por dia para cuidar dos animais com quem vive e que adotou.
Ela é uma benfeitora silenciosa.
Difícil imaginar que alguém tenha visto algo igual.
Se esta história de bondade e dedicação extrema, que mais parece conto de fadas do que verdade, te tocou, partilha com os teus amigos.
Comentários

Feio não é ser mãe solteira! Feio é ser pai quando convém!

“No outro dia conversava com uma amiga sobre como é difícil criar um filho que vê o pai raramente. Não porque o re...


152